Arquitetura jesuítica. Lucio Costa.

CARDOSO, Vinicius M. Fazenda do Colégio...

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=177051

 

 

A pesquisa analisa a organização socioeconômica e as relações escravistas do Vale do Macacu nos séculos XVIII e XIX; através do estudo do “complexo agrário” do clã Araújo - desde sua formação até sua derrocada durante a Crise do Souto; em 1864 - localizado na freguesia da Santíssima Trindade; município de Santo Antônio de Sá de Macacu (Cachoeiras de Macacu); Província do Rio de Janeiro. Complexo este formado por cinco fazendas – Colégio; Jaguary; Papucaia; Ribeira e Rio das Pedras – a partir repartição da Fazenda do Colégio; herdada do patriarca Henrique José de Araújo (1769-1840); comerciante e fazendeiro português radicado na cidade do Rio de Janeiro. Discute também aspectos relacionados à economia da região objeto da pesquisa; voltada em especial para a produção de gêneros para mercado interno e abastecimento. No tocante às relações escravistas presentes nessa região; as mesmas foram analisadas através de 2.563 registros de batismo de escravos adultos e filhos de escravas da região; no período de 1819 a 1873; com enfoque na composição da escravaria; família escrava; apadrinhamentos e também discute a formação de comunidades escravas na região; em especial a da Fazenda do Colégio; integrada por cerca de 300 cativos. Abrangendo a análise do Vale do Macacu a partir da sua ocupação; já no século XVI; vista como solução de continuidade na obtenção de terras e produção agrícola para exportação e abastecimento; até a segunda metade do século XIX; a pesquisa visou contribuir para o conjunto de trabalhos acerca da história regional de Cachoeiras de Macacu e do Estado do Rio de Janeiro.

GALDAMES, Francisco J. Entre a Cruz e a Coroa. Moss. Pizarro

COSTA, Gilciano M. Escravidão em Itaboraí

http://www.historia.uff.br/stricto/td/1603.pdf

Itaboraí: Terra, Fé e Propriedade. A Igreja Católica e a conquista do território.

SILVA, Deivid Antunes. Monografia apresentada ao Curso de Licenciatura e História da Faculdade Omni. Itaboraí: 2009.

Processo de Conquista e Apropriação do Território: Capitania do Rio de Janeiro, 1564-1600. Mauricio de Almeida

Localização das sesmarias

Ribeiro, Luiz Marcello Gomes. GRITOS E SUSSURROS. A Retabilística Barroca em São João de Itaboraí Contribuição ao estudo iconológico dos retábulos e imagens da Matriz de São João de Itaboraí – RJ

Desdobramento do Pentagrama Pitagórico.
Retábulo de Nossa Senhora da Conceição. São João de Itaboraí.

http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_5769_Disserta%E7%E3o%20Luiz%20Marcello%20-%20p%F3s%20defesa%2017-10-2012.pdf

RESUMO

O objetivo deste trabalho é analisar histórica e artisticamente o conjunto retabilístico da igreja Matriz de São João de Itaboraí, Estado do Rio de Janeiro. Durante a pesquisa, buscou-se investigar a história de Itaboraí e sua relação com a cultura dos séculos XVII ao XIX no Brasil. Diversas considerações foram feitas em relação aos retábulos da matriz, porém, com a ausência de fontes primárias, os desenvolvimentos só puderam ser formulados a partir dos referenciais teóricos de autores como Alvim, Costa, Santos, Smith, Oliveira; assim como, das análises tipológicas, formais, estilística e visuais, tendo-se em vista ainda aspectos simbólicos a partir dos estudos iconológicos fundamentados em Cassirer, Panofsky e Wittkower. Detectaram-se elementos do ―estilo nacional‖ (português) e rococó, constatando-se uma hibridização de estilos artísticos e repetições de elementos decorativos em situações comparativas com outros exemplares contemporâneos ao conjunto. Os componentes formais e culturais da retabilística barroca em São João de Itaboraí propõem, na sua expressividade, o acesso à mentalidade criativa de uma época; esta, igualmente, solicita nossa compreensão, pela profundidade do seu legado. Em dissonância com a desteatralização do cotidiano Itaboraiense, o objeto estético enseja discernir os seus conteúdos a partir de sua leitura e reavaliação no contexto ao qual pertence, os quais abrem o caminho ao estudo essencial dos caracteres morfológicos e estruturais identificáveis no local com vistas a um reconhecimento pleno e perpetuação do conjunto.

Palavras chaves: Barroco/Retábulo/ Iconologia/ Patrimônio / Itaboraí