John Luccock. Notas sobre o Rio de Janeiro e partes meridionais do Brasil. 1808-1818.

Fotomontagem do Princípe Regente visitando a máquina a vapor em Vila Nova. Itaborahy. A dívida contraída com a Inglaterra obrigou-o a adquirir sua produção industrial.

 " Um pouco para Leste fica Vila-Nova (atual Itambi-Itaborahy*), outrora residência dos índios e dirigida pela legislação que em benefício deles se baixou, mas que agora pertence, quase toda ela, a um rico fidalgo. Em sua bela propriedade possue êle uma singularidade neste país, a saber, uma máquina a vapor para seu engenho. Houve uma outra que, trazida por um navio que naufragou próximo do Cabo de São Roque, foi retirada  d'água e, embora pretendesse usar dela no Tesouro para cunhar moedas, nunca foi instalada. Dizem que de uma feita o Prícipe Regente visitou Vila-Nova para ver a máquina trabalhar e que seu proprietário, a-fim-de não rebaixar o caráter brasileiro no seu respeito pela realeza, preferiu perder uma grande parte de sua safra de cana, a ofender os ouvidos de seu visitante com a bulha do maquinário "

* nota da redação.

Moenda a vapor. Itaborahy