Na trilha da Fazenda do Bananal em Maricá. RJ

Foto de azulejos da Fazenda do Bananal


A fazenda da Família Macedo Soares e o Conselheiro Macedo Soares
Segundo artigo de Helio de Araujo Evangelista[3] publicado em 2005 e a publicação Projeto Inventário de Bens Culturais Imóveis: desenvolvimento territorial dos caminhos singulares do Estado do Rio de Janeiro[4] de 2004, a família Macedo Soares, possui ligações que remontam vínculos com a família Sá no século XVI, do próprio governador-geral Mem de Sá, e teve como marco definidor a Fazenda do Bananal, localizada entre Maricá e Saquarema, atualmente municípios do Estado do Rio de Janeiro, na qual em meados do século XVIII um alferes chamado Antônio Joaquim Soares e sua esposa, Dona Maria Antônia Reginalda, arrendaram aos frades do mosteiro de São Bento uma faixa de terras em mata virgem no povoado de Ponta Negra, onde dada a predominância de bananeiras deu o nome da localidade. Auxiliados por meia dúzia de escravos recebidos por dote, começaram o plantio do local e construíram uma casa grande com capela anexa tendo como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Com a morte em 1812 do alferes, Dona Reginalda assumiu a direção da fazenda que, prosperando, cultivava café e anil e chegou a ter 200 escravos e um capelão, Frei João Garcia, o qual oficiava casamentos, fazia batizados e residia na propriedade.
Nessa fazenda iniciou-se a família Macedo Soares, que seria muito atuante na política fluminense, pois não foram poucos os membros do extenso ramo da família iniciado com a união do pai do Conselheiro Macedo Soares, Joaquim Mariano de Azevedo Soares, fazendeiro e expoente da aristocracia rural fluminense, que seguiram carreira política.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Joaquim_de_Macedo_Soares
 

IHGI. A Família Macedo Soares.

IHGI. Fazenda Bananal. Maricá. RJ.