O Mapa de Vieira Leão de 1767, o Conde da Cunha , o Rei D. Carlos I e o Barão de Rio Branco

Capitânia do Rio de Janeiro. Cartografia.
Vieira Leão. 1767.

Um precioso mapa do território fluminense, executado pelo sargento-mor MANUEL VIEIRA DE  LEÃO em 1767, por ordem do conde DA CUNHA e que se encontra no arquivo do Instituto Histórico e Geográfico , dá-nos uma idéia maravilhosamente clara da civilização dessa época, toda ela projetada e evolvida do primitivo núcleo da Guanabara.

Magnífica reprodução deste mapa encontra-se na Biblioteca do Itamarati, oferecida pelo rei D CARLOS ao barão do RIO BRANCO. Os contornos costeiros são minuciosamente pormenorizados com uma exatidão passível de confronto com as Cartas modernas, excetuado um pequeno trecho ao norte da foz do Paraíba, entre Manguinhos e a foz do Itabapoana, apenas esboçada e de maior extensivo leal. Sobremaneira notáveis são os contornos da Guanabara e a topografia das suas ilhas. Todas as freguesias e engenhos do recôncavo são especificados.  O "Caminho Novo" e as suas variantes para Minas Gerais, e as estradas para São Paulo são cartografia dum precioso mapa do território fluminense, executado pelo sargento-mor MANUEL VIEIRA DE LEÃO em 1767, por ordem do conde DA CUNHA e que se encontra no arquivo do Instituto Histórico e Geográfico, dá-nos uma idéia maravilhosamente clara da civilização dessa época, toda ela projetada e evolvida do primitivo núcleo da Guanabara . Este mapa indica o apogeu da "Civilização do Açúcar" no recôncavo, já com as suas 24 freguesias centralizadoras de engenhos numerosos. O que redobra a sua importância é o haver êle sido feito no exato período em que a história econômica do Brasil vai fluir para outro rumo com o aparecimento do café, nôvo fator agrícola que por volta de 1760 foi trazido para o Rio de Janeiro pelo chanceler CASTELO BRANCO. Os contornos costeiros são minuciosamente pormenorizados  com minúcias de um levantamento rigoroso para a época.  A mesma precisão pode ser admirada no minucioso litoral das baías do extremo oeste e nas próprias lagunas fluminenses onde os diferentes Pontais, angras e esporões aparecem com a mesma disposição das plantas atuais.  Por ele se vê que, por toda a cordilheira, fora do sulco das estradas gerais de Minas e de São Paulo, e, excetuada a freguesia de N Sa da, Conceição do Campo Alegre - a futura Resende , dominava um indevassado matagal, "Sertão occupado por índios brabos", o qual só viria a ser penetrado no seguinte século com o alastramento do café.

Alberto Lamego. O Homem e a Guanabara. 1945.

Mapa de Vieira Leão Original. 1767
Detalhe: Villa de Sto António de Sá. ( Atual Itaboraí, Cachoeiras do Macacacu, Tanguá e Rio Bonito). Estrada do Contorno.Tapacorá.