" Cruzei a Barra de São João de canoa, ao lado de nossos cavalos ".
Charles Darwin.

 

Barra de São João. Casimiro de Abreu.

400 anos de História

Igreja jesuíta com fundação em 1619

Há mais de que quatro centos anos de história . . .

 Fonte: http://www.barradesaojoao-rj.org/portugues/01_cidade/07_historia/07_historia.html

 

 

 

 

 

 

 

• 1500 Brasil foi descoberto pelos portugueses.
 
• 1616 Criada a Aldeia de São Pedro e a Sesmaria de Campos Novos,
localizando-se esta última entre São Pedro e o Rio Peruíbe
(nome indígena do atual Rio São João).
 
• 1619 Fundação do Arraial de Barra de São
João 
com a construção de uma capela
em homenagem a São João Batista
pelos Jesuítas na foz do rio Peruíbe
(hoje rio São João).
 
 
• 1700 Fundação da Aldeia de Ipuca (hoje
Aldeia Velha) na raiz da Serra do Mar.
 
• 1748 Construção da primeira igreja dedicada a Sagrada Família
de Ipuca pelos Jesuítas com ajuda dos índios Guarulhos.
 
• 1761 A freguesia de Ipuca muda para as margens do rio Peruíbe
(São João) e uma nova igreja é erguida com o nome de
Sagrada Família do Rio São João de Ipuca. O antigo local 
da aldeia passa a se chamar Aldeia Velha.
 
 
• 1801 Devido à ocorrência frequente de surtos de epi-
demias na localidade, a sede de freguesia foi transferida para junto da foz do rio São João 
e perto da capela São João Batista. Sendo con-
struída outra Igreja Matriz da Sagrada Família, 
em frente a Praça da Alegria (hoje Praça As
Primaveras) e reformada em estilo neoclássico 
no final do Século XIX.
 
 
• 1813 Na região de Barra de São João e Indaiaçú (hoje Casimiro 
de Abreu) 
foi fundada o município de Macaé.
 
• 1839 O poeta Casimiro José Marques de Abreunasce
no dia 4 de Janeiro em Barra de São João.
 
 
• 1856 A peça teatral «Camões e Jaú» de Casimiro 
de Abreu é encenada em Portugal.
 
• 1859 O único livro «As Primaveras» de Casimiro 
de Abreu foi publicado.
 
• 1859 Indaiaçú desmembra-se de Macaé, tendo Barra 
de São João como sede do município.
 
• 1860 Casimiro de Abreu morre com 21 anos no dia 18 de Outubro 
com tuberculose. Por esta razão todos os seus bens foram
queimados.
 
       
        
• 1888

 Termina a escravidão no Brasil. Por causa da falta de operários de baixa renda, Barra de São João entra crise econômica.

 
• 1889 Os estados Unidos reconhecem a República dos Estados Unidos
do Brasil.
 
• 1890 A vila de Barra de São João passa à categoria de cidade.
No final do século XIX é criada a Praça As Primaveras em Barra
de São João.
 
• 1925

 Indaiaçú, que já possuía estrada de ferro (Rio-Vitória), passa 

a ser sede do município de Barra de São João, de onde trans-
fere-se a prefeitura.

 
• 1937

 No espólio de Cyro Meireles a casa de Casimiro de Abreu foi arrendada por Bernardo Gomes, benemérito de Barra de SãoJoão, reformando-a e doando à prefeitura para torná-la Casa de Cultura.

 
• 1938

 Indaiaçú em homenagem ao poeta, tem seu nome alterado para Casimiro de Abreu. Barra de São João volta a ser uma vila.

 

• 1940

 

  Construção da ponte que serviria à passagem do trem (linha Rio-Vitória) sobre o rio São João que divisa Cabo Frio de Barra de São João. Mas a obra da linha férrea foi interrompida ainda em Campos Novos para dar passagem à rodovia.

 
 
• 1942 Foi inaugurada a ponte, servindo à passagem 
de carros.
 
• 1957

 

As ruínas da ponte velha transformaram-se numa atração turística.
Decreto estadual cria a 
Casa de Cultura Casimiro de Abreu.

 
• 1963

 A casa de Casimiro de Abreu é tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional e inicia-se uma grande reforma. O imóvel passa a funcionar 
como centro cultural com o nome Museu Casa de Casimiro de Abreu.


 

 
 
• 1996

 A estação de trem da cidade de Casimiro de

Abreu (construída em 1924) é reformada e 
transformada em Casa da Cultura Estação
Casimiro de Abreu.

•1999

 A praça «As Primaveras» é totalmente reformada tendo novos canteiros, jardins, coreto, chafariz e playground.

 
• 2008

 O Museu e Casa de Cultura Casimiro de Abreu é reformado e reinaugurado no dia 29 de dezembro.

   

IHGI. Barra de São João e seu Patrimônio Histórico.

Inclui entrevista a Laert Moura e visão geral do Museu, Casa da Cultura e panorâmica enredor.
Duração aproximada de 7 minutos !