Enterrar ou não enterrar os mortos dentro das Igrejas?

Frei José Mariano da Conceição Veloso

Em 1761, se tornou franciscano no Convento de São Boaventura, em Macacu

José Mariano da Conceição Veloso  (São José del-Rei , comarca de Rio das MortesMinas Gerais1742 — Rio de Janeiro, noite de 13 de Julho para 14 de Julho de 1811), foi um sacerdoteprofessormissionário e botânico brasileiro colonial. O naturalista era filho de José Veloso da Câmara e de Rita de Jesus Xavier, e primo de Joaquim José da Silva Xavier, conhecido como Tiradentes. Em 1761, se tornou franciscano no Convento de São Boaventura, em Macacu, tendo sido ordenado no Convento de Santo Antônio, no Rio de Janeiro, onde estudou Filosofia e Teologia.Foi nomeado pregador em 1768 e, em 1771, já ministrava Geometria no convento de São Paulo.Transformou seu claustro em um museu herbário, cultivando sua dedicação aos estudos botânicos. Lente de Retórica no convento de São Paulo e lecionando História Natural no convento de Santo Antônio, em 1790 foi a Lisboa, quando começou a classificar espécies da flora e fauna, enquanto trabalhava no Real Museu e Jardim da Ajuda e na Academia Real das Ciências de Lisboa. Sob a protecção de D. Rodrigo de Sousa Coutinho, de 1799 a 1801, tornou-se diretor da Oficina Typographia Chalcographica, Typoplastica, e Litteraria do Arco do Cego, em Lisboa, onde terá escrito a sua célebre obra Florae Fluminensis e intervindo em várias publicações que abrangeram a História Natural, a Agricultura, a Poesia, o Desenho, a Medicina, a Náutica, as Ciências Exactas, a Química e a História. Regressou ao Brasil em 1808, residindo no Rio de Janeiro, quando da ida da família real, que ocorreu após as invasões francesas. Morreu de hidropisia, na noite de 13 para 14 de julho de 1811, no convento de Santo Antônio, no Rio de Janeiro. A biblioteca pessoal de José Mariano da Conceição Veloso, com manuscritos e documentos, foi graciosamente cedida à Real Biblioteca do Rio de Janeiro, mais tarde rebatizada como Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Fomte: wikipedia

Enterrar ou não enterrar os mortos dentro das Igrejas? A polêmica desse costume tão antigo foi bem estudada por Frei José Veloso, noviço do Convento de S. Boaventura de Macacu. Fonte: Biblioteca Nacional Digital.

Livro de cerca de 40 páginas que mudou os enterros dentro das igrejas no Brasil por Frei Velloso