Berço dos mamíferos no Brasil. Bacia São José de Itaboraí, RJ

A Bacia de Itaboraí, de idade paleogênica, é uma das menores bacias brasileiras (cerca de 1 km2), mas, apesar do seu pequeno tamanho, é ricamente fossilífera. Ela está localizada no distrito de São José, Município de Itaboraí, distando cerca de 60 km do Município do Rio de Janeiro. Foi preenchida por uma seqüência de calcários clásticos e químicos (travertinos), cortados verticalmente por canais de dissolução, onde a grande maioria dos fósseis foi encontrada. Esta seqüência foi recoberta por uma camada de sedimentos rudáceos de idade eoceno-oligocênica. O calcário da Bacia de Itaboraí foi explorado por aproximadamente 50 anos para fabricação de cimento utilizado em inúmeras construções das quais destacamos o estádio do Maracanã e a ponte Rio-Niterói. A Bacia de Itaboraí contém os registros brasileiros mais antigos de animais e vegetais continentais posteriores à extinção dos dinossauros, no final do Cretáceo. A biota preservada neste sítio paleontológico compreende mamíferos, répteis, aves, anfíbios, vegetais, gastrópodes e uma ocorrência de palinomorfos e ostracodes. Os primeiros são os fósseis mais diversos e abundantes e tão importantes para a história dos mamíferos sul-americanos que uma das Idades-Mamífero Terrestre Sul-Americanas, o Itaboraiense <~cerca de 50Ma atrás>, foi proposta em homenagem à bacia. Além de ricamente fossilífera, a Bacia de Itaboraí guarda também um dos mais importantes registros da ocupação humana no Brasil. O sítio arqueológico no morro da Dinamite permitiu identificar, através dos artefatos (buris, facas, raspadores, perfuradores etc.), uma seqüência tecnológica contínua que se iniciou há, pelo menos, 1 Ma (Pleistoceno médio), com o Homo ergaster.

Fonte: http://sigep.cprm.gov.br/sitio123/sitio123.pdf

IHGI. Berço dos Mamíferos. S.José de Itaboraí

Texto em PDF

http://sigep.cprm.gov.br/sitio123/sitio123.pdf